Peles difíceis – exfoliante caseiro e outras “vegetarianices”

   Olá gente gira! Como vos corre a semana? Não desesperem porque já estamos quase no fim. YEAHHH!!!

   O tema que vos trago hoje são produtos de beleza. Mas calma porque não venho aqui falar de produtos com propriedades milagrosas que transformam a nossa pele de Shar-pei em rabinho de bebé coberto de óleo Johnson. Nada disso minha gente, venho sim falar de alguns produtos que euzinha tenho experimentado e, aos poucos me têm tornado fã desta coisas de produtos naturais, vegetarianos ou vegan.

   Para começar vou desde já admitir que não sigo de todo uma dieta vegetariana aliás, se quiser ser completamente honesta, nem sequer uma dieta muito equilibrada eu sigo mas vá…. não vamos entrar por aí! Quem me conhece sabe bem que perco a cabeça por um bom piano grelhado, uma costeleta de porco preto a escorrer gordura ou lulas ao alhinho, pelo que ser vegetariana dificilmente se tornaria uma possibilidade na minha vida a não ser que fosse brutalmente forçada a tal. Dito isto, acho uma opção de vida bastante válida e até corajosa, enveredar pelo caminho de tudo o que não tem proveniência animal. Eu mal consigo dizer que não a um valente copo de leite com café apesar de a minha tripa fazer questão de me castigar severamente durante horas a fio, imaginem uma bela perna de frango assado a gotejar molho suculento em cima de uma bolinha de Mafra mal cozida…..

   Bom, a questão é que desde miúda que sempre tive acne e pele oleosa. Pior, eu era (e confesso que ainda sou) daquelas pessoas estranhas que vêem no rebentar de uma borbulha uma actividade bastante prazerosa. Claro que isto acabava por ter implicações catastróficas na minha pele pois fiquei a parecer uma esponja do chinês cheia de crateras e manchas de diversas formas e tamanhos. Tão bom não é? Talvez por isso, hoje em dia só consiga usar bases tipo argamassa pura!

   Experimentei muitos produtos em catraia mas para além de não os aplicar com a frequência devida, sempre me pareceram uma espécie de banha da cobra mascarada de loção séria, prescrita por médicos que nunca enfrentaram o trauma de se olhar ao espelho de manhã, prontinhos para ir para a escola só para se depararem com um corno adulto a fazer alpinismo na ponta do nariz.

   Já em adulta, comecei a tomar a pílula o que veio dar uma ajudinha no controlo desta praga. Contudo, todavia, porém, em 2016 deixei de a tomar e fui assolada por um quase arrastão de pequenas protuberâncias vermelhas e brancas na costas e linha do maxilar. Foi de tal forma grave que eu parecia as bancadas do estádio do Glorioso em dia de Benfica – Braga se ambos levassem o seu equipamento principal. Decidi então que estava na altura de de revoltar e tomar as rédeas da situação.

   Fui para a net pesquisar e encontrei uma receita para um exfoliante desintoxicante caseiro que me pareceu convincente e portanto propus-me a experimentar. A receita era simples: 1 frasquinho pequeno (tipo os de creme de rosto), chá verde (usei 1 saqueta), azeite, 1 colher de sopa de mel e açúcar amarelo. Comecei por encher de açúcar o frasquinho até pouco mais de meio, em seguida entornei-lhe o azeite até quase cobrir o açúcar e depois os restantes ingredientes. Misturei tudo e depois apliquei sem medos. Exfoliei, exfoliei e achei logo a minha pele muito oleosa por causa do azeite. Como estava no banho, removi com água quente e quando terminei a minha pele estava brutal!!! Não só estava macia ao toque, como reluzente e nada pegajosa, pesada ou gordurenta. Desde então que eu e a minha mezinha nos tornámos inseparáveis, pois contrariamente a alguns dos produtos anteriores não causou qualquer tipo de irritação na minha pele. Outra receita caseira foi misturar café moído com azeite, e açúcar amarelo para fazer um exfoliante corporal para ajudar a minha circulação, ou melhor a falta dela. Resultado? Pele suave e brilhante.

   Mais recentemente, comecei a ir dar “uns rolé” na loja The Body Shop e efectivamente percebi a diferença entre o que eles vendem e tudo o resto. Já experimentei uma máscara de argila preta para peles complicadas e achei-a divinal, o gel de limpeza de algas é suave e mentolado por isso sempre que o uso a minha pele fica super leve e fresca, o tónico diário/sérum de árvore  de chá apesar de ainda não ter notado grandes benefícios (estou a usar há pouquíssimo tempo) o aroma transporta-me para o meio de um pinhal num dia de primavera e por fim o creme reafirmante fa gama Spa of the World com Café Verde da Etiópia – o que quer que isso seja – que realmente, quando combinado com umas massagens vigorosas (quase uma espécie de aula de Muay Thai comigo mesma) me ajudou a reduzir os grumos de nhanha que se tinham acumulado nas minhas coxas, sendo que o aroma dele é deliciosoooooo!

   No fundo, tudo isto pode ser fruto da minha imaginação movido pela enorme vontade de ver melhorias. O certo é que os cheiros, texturas e sensações de cada um destes produtos nos aproximam da natureza, de um sentimento de leveza e frescura e no fim de contas, dependendo das opções escolhidas – os produtos da The Body Shop são um pouco dispendiosos – podemos tratar de nós e contribuir para a nossa auto-estima sem que com isso tenhamos que ir pedir para a porta do metro ou perder horas em tratamentos de Spa e clínicas com resultados muito imediatos mas por norma, pouco duradouros.

   Para mim é pensar a longo prazo e não tentar alcançar objetivos surreais em espaços de tempo impensáveis, sem nos comprometer-nos a manter, a pensar na alimentação, a praticar desporto e a gostarmos de nós por nós. Como dizia o outro: Rome wasn’t built in a day! Enjoy 🙂

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s